Aveleda Futebol Clube : site oficial do clube de futebol de Aveleda, Vila do Conde - footeo

Entrevista a Fábio Silva - Capitão Aveleda FC

31 de janeiro de 2018 - 19:05

1.Em primeiro lugar, como surgiu esta ligação ao Aveleda FC e como chegou ao clube?

“Queria começar por dar um bem-haja a toda a direção, jogadores, equipa técnica, sócios e simpatizantes. Respondendo à pergunta, essa ligação teve influência do meu pai. Apesar de ter ficado nos Séniores do Lavrense (último clube da formação) sabia que ia jogar com pouca regularidade porque o primeiro ano de Sénior é um ano de transição muito difícil e complicado. Então aí aparece o meu pai, que me sugeriu ir um ano para o Aveleda FC e assim ganhar minutos como sénior. O Aveleda sempre me foi um clube querido desde a infância porque nasci numa terra vizinha e houve sempre uma ligação familiar, onde tinha muitos amigos conterrâneos a jogar lá e me levava a acompanhar desde miúdo este clube. Falei com o presidente na altura, o Sr. Neca, e ele mostrou-se muito recetivo e empenhado em trazer-me para cá. Não pensei duas vezes!”

2.São já muitos os anos em que representa o clube, o que o tem mantido cá?

“O que me tem mantido cá é a excelente camaradagem e amizade dos vários balneários que o Aveleda sempre teve e no qual podemos chamar família. Os anos foram passando e apesar de ter sempre em mente jogar nas distritais o amor ao clube e a ambição de querer ganhar algo por ele foram preponderantes para nunca ter coragem de abandoná-lo. Sinto-me em casa e tenho relações com amigos que conheci por cá, aos quais posso chamar de verdadeiros irmãos. É uma equipa onde podemos contar com toda a gente nas alegrias, mas sobretudo nas tristezas e obstáculos que surgem na vida. Aprendi a sentir este clube com muito carinho e empatia. Será para sempre o meu clube de coração a nível amador.”

3.Como geriu a ambição de ir para outros voos?

“Como referi na pergunta anterior sempre tive a ambição de ser federado, mas os anos foram passando e a vida não permitiu dedicar-me tão intensivamente ao futebol e acabei por ir ficando. Também acho que acabei por ser um bocado esquecido por jogar neste campeonato e penso que os clubes federados têm uma ideia errada acerca dos jogadores que atuam a este nível, no qual eu acho que ano após ano a qualidade aumente cada vez mais. Também a ambição de ganhar algo pelo Aveleda FC foi um fator muito decisivo para nunca ter saído. Queria estar na galeria dos que ganharam e graças a Deus consegui!”

4.Quais são os momentos mais felizes vividos neste clube?

“Sem dúvida nenhuma que o maior momento vivido neste clube foi a conquista da Taça da Federação Popular do Norte, não só pela importância e poderio deste troféu, mas por termos sidos os primeiros a conquistá-la e a colocá-la no museu do nosso clube. Foi um dia único no qual ainda hoje, quando o lembro, me arrepio! Foi uma conquista de todos! Também queria referir a conquista da Taça de Vila do Conde porque o capitão na altura, Joaquim Reis, tirou a braçadeira e entregou-ma para ser eu o primeiro a pegar no troféu. Foi uma atitude que me marcou e ficará para sempre nas minhas grandes memórias.”

5.Abordando a época passada, teve a oportunidade de partilhar o balneário com o seu irmão. Como se sentiu em relação a essa experiência?

“Foi realmente uma experiência única! Um misto de sentimentos.... Confesso que nunca quis que ele jogasse neste campeonato, porque a qualidade dele era muita e tinha medo que, tal como eu, caísse no esquecimento dos clubes federados. Mas percebi no decorrer da época que isso ainda o estava a projetar e fazer evoluir cada vez mais. E com ele senti que poderíamos conquistar o tão desejado campeonato, mas existiram fatores extra que nos impossibilitou de o alcançar. Aprendi também a não ser tão protetor para com ele e mentalizar-me que era um homem feito a todos os níveis. Foi o momento mais lindo que tive a nível de futebol! Um sonho antigo e que futuramente ambicionámos que se torne a realizar, mas noutros patamares.”

6.Aproveitando para fazer uma provocação, há quem caraterize o seu estilo de jogo como algo conflituoso dentro de campo. O que tem a dizer acerca disso?

“É uma boa pergunta (risos). Sei que sou muito impulsivo quando jogo e por vezes surgem pequenas picardias normais neste desporto. Sou muito aguerrido e defendo o meu clube e os meus companheiros com unhas e dentes, pondo em causa até a minha integridade física. Mas ano após ano sinto-me mais calmo e tento controlar cada vez mais esses impulsos.”

7.Como avalia a época até ao momento a título pessoal e quais são as suas ambições para o futuro?

“A nível pessoal sinto que estou a fazer uma época normal, tentando sempre manter o nível exibicional regular o que acho uma tarefa muito difícil. Há que ter em conta as lesões derivado ao campeonato muito exigente a nível físico, por causa dos campos pelados. A nível coletivo espero como capitão de equipa incutir sempre a mística do clube ao nosso plantel e ganharmos jogo a jogo, sempre na humildade e no querer. Sempre incentivando todos a ganhar de forma honesta e dentro de campo. Nunca fora dele!”

8.Para terminar e porque neste próximo fim-de-semana se inicia a segunda volta, sendo o jogo em casa com o Retorta, o que espera deste embate? De recordar que o jogo de estreia do Aveleda FC para o campeonato foi lá perdido por 2-1.

“Vamos encarar este jogo como todos os outros e em busca dos três pontos. É verdade que perdemos o jogo lá na primeira volta, mas ficou a promessa que iríamos vingar em nossa casa esse resultado. Não queremos facilitar na segunda volta e o Retorta irá ser o nosso primeiro grande teste. Eles que se preparem porque em casa mandamos nós!”

Comentários

Mario Barbosa 2 de fevereiro de 2018 01:23

Mais um jogador que passou pelas minhas mãos forte abraço Fábio

    P J V E D GM GS DG
Touguinha 75 30 24 3 3 81 28 +53
GDC Rio Mau 73 30 23 4 3 86 31 +55
Tougues 57 30 16 9 5 62 46 +16
GD Árvore 55 30 16 7 7 66 34 +32
FC Malta 50 30 14 8 8 51 38 +13
Aveleda FC 49 30 15 4 11 60 38 +22
Bagunte 47 30 13 8 9 60 45 +15
Labruge 44 30 12 8 10 47 45 +2
ACD Arcos 41 30 13 2 15 62 57 +5
10º Vairão 36 30 10 6 14 53 64 -11
11º CDCR Gião 35 30 10 5 15 63 66 -3
12º Guilhabreu 32 30 9 5 16 42 68 -26
13º CCD Macieira 28 30 7 7 16 35 66 -31
14º Fornelo 19 30 5 4 21 36 85 -49
15º Fajozes 18 30 5 3 22 43 86 -43
16º Retorta 17 30 4 5 21 28 78 -50
17º AD Vila Chã 0 0 0 0 0 0 0 0